Vacinação em Irecê inicia com primeira leva para profissionais da linha de frente e idosos da ABAI

Vacinação em Irecê inicia com primeira leva para profissionais da linha de frente e idosos da ABAI

Primeiro lote chegou na manhã desta terça-feira de avião, por volta das 6h da manhã

Das 376.600 doses enviadas pelo o Governo Federal para a Bahia e distribuídas pela Secretaria de Saúde do Estado que chegaram para iniciar a imunização em Irecê, os primeiros contemplados serão os profissionais da linha de frente que atuam diretamente com pacientes infectados pelo coronavírus, profissionais da rede de urgência e para os idosos da Associação Beneficente ao Ancião de Irecê. A cidade recebeu 1.100 doses hoje (19) e já  começou a imunização. Os lotes chegaram de avião na manhã desta terça-feira, por volta das 6h da manhã.

A primeira pessoa imunizada na cidade foi uma mulher de 42 anos que atua desde o início da pandemia na linha de frente. A contemplada foi a Técnica de Enfermagem, Regina Cardoso, que trabalha no Centro de Tratamento Covid-19 e no Hospital Regional. 

O segundo imunizado foi o enfermeiro do P.A. Covid, Ueigla Batista, de 29 anos que também atua na linha de frente no pronto atendimento desde o começo da pandemia.

Ueigla Batista, 29 anos, foi o segundo a ser imunizado na cidade de Irecê
Foto: Ueigla Batista recebendo a primeira dose da Coronavac. Ales Alves/Irecê Notícias

Participaram do evento o prefeito Elmo Vaz (PSB) e sua equipe, assim como a ex-Secretária de Saúde, Dulce Barreto e o coordenador da Vigilância Sanitária, Tarcísio Oliveira. O evento ocorreu no pátio do Hospital Municipal de Irecê, onde está situado o P.A. Covid que atende toda a região de Irecê.

Plano de imunização

Pessoas que são consideradas zona de risco terão de esperar novos lotes da vacina chegarem para participarem da imunização. Primeiro serão vacinados apenas pessoas que trabalham nos serviços de urgência, na linha de frente no enfrentamento à covid-19 e os idosos da ABAI. Segundo o prefeito Elmo Vaz, a intenção primeira é atender os trabalhadores dos hospitais e logo após os pacientes que têm comorbidades que associadas ao coronavírus podem se tornar fatais.

Não há datas certas para que isso aconteça, já que o Brasil sofre uma crise de abastecimento de insumos para a produção tanto da Coronavac - parceria entre o laboratório chinês Sinovac com o Butantã - quanto da vacina da Oxford/Astrazeneca que foram desenvolvidas em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Até lá, as medidas internacionais de proteção continuam em vigor e as medidas de distanciamento também.


Foto: Ueigla Batista, Elmo Vaz e Regina Cardoso em evento simbólico de imunização contra a covid-19. ASCOM/Prefeitura de Irecê

Irecê Notícias