PUBLICIDADE

Por que o primeiro trimestre é o período de maior risco da gestação?

  • Em Mulher
  • 01-04-2019
  • Por Irecê Notícias
  • 527 Visualizações
img
Foto: Reprodução

A maternidade é um dos momentos mais marcantes da vida da mulher. Por isso, assim que descobre que está grávida, a maioria já quer espalhar a notícia para todo mundo.

Porém, o conselho de esperar até o final do primeiro trimestre é válido, já que uma em cada cinco mulheres pode sofrer um aborto espontâneo – especialmente nesses meses. Mas por que as primeiras 12 semanas são as mais arriscadas da gestação?

É no primeiro trimestre que o saco gestacional, que carrega o embrião, se instala no útero da mãe. Nesse processo pode haver o deslocamento do mesmo, causando desde sangramentos até um aborto espontâneo. Além disso, problemas genéticos e de formação do embrião também podem ocorrer, colocando a gestação em risco.

De acordo com o obstetra Fábio Muniz, do Hospital e Maternidade São Cristóvão (SP), até 20% das gestações evoluem para aborto antes de 20 semanas, “sendo que, destas, 80% são interrompidas até a 12ª semana”, diz. Após a 15ª semana, o risco de abortamento cai para 0,6%.

Por isso, toda gestante deve estar atenta a alguns sinais, especialmente nas primeiras semanas de gestação, e procurar assistência médica ao notar qualquer um deles. São alarmes como:

·       Sangramento vaginal, ainda que leve;

·       Dores abdominais;

·       Vômitos muito intensos;

·       Queda ou acidentes, mesmo que sem consequências aparentes.

Além disso, é importante tomar alguns cuidados especiais durante as primeiras 12 semanas de gravidez para diminuir os riscos ao embrião e à gestante.

1.     Atividades físicas de alto impacto devem ser evitadas. Outros exercícios podem ser feitos, sempre com o acompanhamento de um profissional;

2.     Cigarros e bebidas estão proibidos não apenas nessa etapa, mas durante toda a gestação;

3.     Bebidas como café, chá preto e refrigerantes à base de cola também devem ser evitados por possuíram altos índices de cafeína, maléfica à gestação.

4.     Use apenas medicamentos prescritos pelo seu obstetra. Cuidado especialmente com analgésicos, antitérmicos, remédios para asma, diabetes, hipertensão e problemas vasculares;

5.     Alguns produtos dermatológicos possuem ácido retinóico na composição, o que pode causar má formação do feto.

6.     Alguns exames, como o raio-x, e outros, que exigem o uso de contraste intravenoso, também devem ser evitados;

7.     A toxoplasmose é um risco sério para as grávidas. Por isso, evite carnes cruas ou malpassadas, e lave bastante frutas e verduras antes do consumo. O uso de luvas para manusear carnes cruas, mexer na terra ou limpar a caixinha de areia dos gatos também é recomendado.

Fonte: Clique Maternidade