'Não dá para criar novos impostos a cada crise', diz Maia

'Não dá para criar novos impostos a cada crise', diz Maia

O presidente da Câmara disse ainda que vai “trabalhar contra” a aprovação do que ele chama de “nova CPMF”, em referência a proposta de reforma tributária do governo

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), criticou hoje (18) a possibilidade de aumento da carga tributária no Brasil. Ele lembrou que o país não foi capaz de resolver os problemas da economia quando criou novos impostos e defendeu o retorno dos debates sobre as reformas que melhorem a qualidade do gasto público.

"Não dá para criar novos impostos a cada crise, a gente tem que olhar e voltar ao que estávamos discutindo [equilíbrio fiscal]. Pode ser mais fácil abrir um espaço fiscal no orçamento para aumentar o investimento público, mas isso é um ciclo vicioso", disse o deputado durante conferência promovida pelo Banco Santander.

A equipe do governo defende a criação de um imposto sobre movimentações financeiras. O ministro da Economia, Paulo Guedes, classificou como “maldade” e “ignorância” chamar a tributação que ele quer implementar de “nova CPMF”. Porém, Maia argumentou que vai continuar “achando que é CPMF” enquanto o governo não apresentar a proposta.

"Vou trabalhar contra. Vou trabalhar para que ela seja, inclusive, derrotada já na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) para que o Brasil não entre nesse pesadelo de ficar criando imposto a cada crise. Vamos olhar o que deu certo no mundo e não vamos tentar criar o que a gente já fez de alguma forma", afirmou.

Fonte Luciana Freire\Metro1