Há 1 ano, morria Zé Bigode, um ícone da cultura popular ireceense

Há 1 ano, morria Zé Bigode, um ícone da cultura popular ireceense

Reconhecido por sua musicalidade e sua veia artística de resistência, Zé Bigode ficou marcado pelo seu tradicional forró pé-de-serra.

Hoje, segunda-feira (19), completa exatamente um ano da morte do sanfoneiro José Elias dos Santos o popular “Zé Bigode”, vítima de um infarto aos 72 anos. Ele era um dos ícones da cultura popular ireceense e um dos maiores sanfoneiros da região.

A partida de Zé Bigode pegou a todos de surpresa e o clima na cidade foi de total consternação. “Irecê fica órfã de um músico que foi um símbolo da música da nossa cidade, sinônimo do forró pé-de-serra bem tocado, conhecido e admirado por todos”, lamentou, na época, o prefeito Elmo Vaz.

José Elias dos Santos, seu nome de batismo, tinha 72 anos e marcou a vida dos ireceenses pela sua musicalidade, mantendo sua veia artística no campo da resistência artístico cultural com o tradicional e clássico forró pé de serra.

Nascido na cidade de Triunfo/PE, o sanfoneiro Zé Bigode chegou à cidade de Irecê no final da década de 1950, aos 11 anos de idade. Em 2017, o sanfoneiro foi homenageado pelo prefeito de Irecê, Elmo Vaz, quando mudou o nome do São João do Mercadão para Circuito Zé Bigode. “Prestamos essa homenagem em vida a ele, batizando um dos circuitos do São João de “Circuito Zé Bigode”, afirmou o gestor.

Irecê Notícias, com informações do Irecê Repórter