Buscas pelo serial killer do DF entram no 8º dia. Conheça o caso

Lázaro Barbosa, conhecido como serial killer do DF é de Barra do Mendes, na região de Irecê. Somadas, as penas dos crimes podem chegar a 300 anos.

Conhecido nacionalmente pela chacina cometida contra a família Vidal em Ceilândia Norte no Distrito Federal, Lázaro Barbosa Sousa, 33 anos, ganhou a alcunha de Serial Killer do DF após deixar um rastro de crimes desde sua prisão, pela primeira vez em 2008. O homem, natural de Barra do Mendes, acumula uma ficha com estupros, assassinatos, violência, agressões, roubos e fugas de presídios.

Lázaro é acusado da morte do empresário Cláudio Vidal, 48 anos e os dois filhos, Gustavo Marques Vidal, 21 anos e Eduardo Marques Vidal, 15 anos, assassinados a tiros e facadas. Além disso, ele também é acusado do sequestro da esposta de Cláudio, Cleonice Marques Vidal, 43 anos, que foi encontrada dias depois sem roupas e com marcas de agressão há 8 km de casa.

Em seis dias matou quatro pessoas, baleou outras três e fez reféns em chácaras. No passado, além dos crimes na Bahia, se envolveu com agressões em Goiás, roubos e estupros em Brasília. Além do massacre da família Vidal, de acordo com a Polícia Civil, Lázaro coleciona três mandados de prisão em aberto por roubos e estupro, em Goiás, e por um homicídio na Bahia. No Distrito Federal, ele é investigado por homicídio e roubo seguido de estupro. Além disso, Lázaro está foragido da penitenciária de Águas Lindas de Goiás há mais de três anos.

Mas a história do serial killer começa anos antes, ainda quando mora na região de Irecê. Em 2007, aos 19 anos, ele foi preso no município de Barra do Mendes (BA), onde nasceu, após cometer um duplo homicídio. Dez dias depois, o acusado fugiu. Sem terem notícias do paradeiro dele, moradores da cidade ficaram preocupados com um possível retorno. As vítimas do crime eram dois trabalhadores rurais. Depois de matá-los, Lázaro ficou foragido durante 15 dias, escondido em uma serra em Barra do Mendes. Ele só foi preso após se apresentar na delegacia do município. Desde que fugiu da cadeia, voltou ao status de procurado.

À época, as escolas de Barra do Mendes suspenderam as aulas, e os mercados fechavam mais cedo, às 18h, para evitarem o risco de assaltos. Muitos habitantes preferiram ficar em casa enquanto a polícia fazia as buscas, e as ruas tornaram-se desertas até o dia em que o acusado reapareceu.

Na terça-feira (15), ele trocou tiros com as equipes de segurança durante as buscas na zona rural de Edilândia, de acordo com informações da Secretaria de Segurança Pública de Goiás. Um policial  militar foi atingido com um tiro de raspão. Ele foi socorrido e passa bem. Ainda não há informações se Lázaro foi baleado.

Ainda na terça, uma adolescente de 16 anos que foi mantida refém junto com os pais em Cocalzinho de Goiás por Lázaro, enviou mensagem à polícia escondida no quarto, o que fez com que fossem resgatados sem ferimentos. Após a chegada dos policiais, ele fugiu novamente e segue sendo procurado pela força-tarefa.

Linha do tempo da fuga de Lázaro:

Após cometer o crime contra a família no DF, o suspeito deu início à fuga:

Na sexta-feira (11), ele roubou um veículo e fugiu para Cocalzinho de Goiás. Depois colocou fogo no carro;

No sábado (12), invadiu uma fazenda, atirou em quatro pessoas e colocou fogo em uma casa. Nesta ocasião, fez um caseiro refém, usou e obrigou a vítima a usar drogas;

No domingo (13), o suspeitou furtou um carro para fugir da polícia, foi visto na BR-070 e acabou abandonando o veículo. A corporação acredita que ele tentava retornar ao DF;

Na segunda-feira (14), ele foi filmado por câmeras de monitoramento e teria dormido em um galpão de uma chácara. Pediu comida aos moradores, mas fugiu;

Na terça-feira (15), uma moradora de uma fazenda filmou os policiais durante buscas em sua propriedade. Segundo as imagens, Lázaro passou por lá durante a fuga. Mais tarde, ele sequestrou uma família em outra chácara (foram liberados sem ferimentos) e atirou em dois policiais, que foram atingidos de raspão, eles foram levados para hospitais e estão conscientes.

Laudo psicológico do suspeito

Um documento obtido pelo Correio revelou, por meio de um laudo psicológico elaborado no Complexo Penitenciário da Papuda em 2013,  que Lázaro é uma pessoa agressiva, impulsiva, instável e com “preocupações sexuais”. À época, ele foi condenado e ganhou liberdade em março de 2016. O exame criminológico serve para avaliar a personalidade do preso para, a partir das evidências, reincidir na prática de delitos. Em 2013, quando ele tinha 26 anos, testes comprovaram os seguintes traços de personalidade de Lázaro: agressividade; ansiedade e tensão; ausência de mecanismos de controle; dependência emocional; dificuldade em canalizar e expressar emoções; impulsividade; instabilidade emocional; possibilidade de ruptura do equilíbrio; preocupações sexuais; e sentimentos de angústia.

O criminoso tem um histórico de uso abusivo de drogas e álcool, perturbações psíquicas, instabilidade profissional, interrupção no aprendizado escolar e profissional, internação em orfanatos e fugas de casas, revelou o laudo.

Lázaro Barbosa está fugindo de uma força-tarefa de mais de 200 policiais há oito dias pela região goiana que fica no Entorno do Distrito Federal. A polícia usa cães, drones e helicópteros na captura ao suspeito. Trinta e quatro propriedades rurais em Goiás estão ocupadas pelas forças de segurança para evitar ação do homem.

Irecê Notícias, com informações do Correio Braziliense, Correio do Povo, Correio 24h e G1